Jump to content
Olá, se você gosta do nosso trabalho, deixe um comentário e dê uma reação é muito importante o autor agradece!

Covid-19: quem esteve infetado pode não precisar da segunda dose da vacina

By M0rceg0, 03/11/2021


 

Covid-19: quem esteve infetado pode não precisar da segunda dose da vacina

30739369-1600x1067.jpg

 

 

 

Investigação do Mount Sinai conclui que a segunda dose das vacinas contra a Covid-19 pode não ser necessária para indivíduos que já tenham estado infetados com o SARS-CoV-2

Otrabalho ainda não foi revisto pelos pares, mas a relevância e a urgência nestes resultados levou a que fossem já divulgados numa carta ao editor da publicação médica New England Journal of Medicine. Viviana Simon, autora da investigação conduzida pelo Mount Sinai, revela que “mostramos que a resposta de anticorpo da primeira dose da vacina em pessoas que já têm imunidade pré-existente é igual ou até maior do que a resposta em pessoas que não foram infetadas após a segunda dose (…) Por esta razão, acreditamos que uma dose única da vacina é suficiente para as pessoas que já tenham sido infetados pelo SARS-CoV-2 obterem imunidade”. As conclusões do estudo podem ajudar todo o mundo, numa altura em que a produção de vacinas não está a conseguir acompanhar a procura existente. Os indivíduos que já tiveram a doença anteriormente, ao deixar de receber a segunda dose, são também poupados aos efeitos secundários que surgem após esta toma e que se descobriu serem mais frequentes em quem tem imunidade pré-existente.

No estudo conduzido no Mount Sinai analisou-se 109 indivíduos com e sem imunidade prévia e descobriu-se que quem já a tinha desenvolveu 10 a 20 vezes mais anticorpos em apenas alguns dias depois da primeira toma e até dez vezes mais depois da segunda toma. Assim, “estas descobertas sugerem que uma única dose da vacina desencadeia uma resposta do sistema imunitário muito mais rápida em indivíduos que já tenham testado positivo à Covid-19 no passado”.

No que toca a efeitos secundários após a toma, a equipa conclui que estes são mais frequentes e em maior escala nos indivíduos que já tinham imunidade pré-existente: em quem não tem, aparecem dores, inchaços e vermelhidão no local da injeção; quem já tinha este tipo de imunidade, no entanto, tem estes sintomas com maior frequência e outras consequências como fadiga, dor de cabeça, arrepios, febre e dor muscular, noticia o EurekaAlert.

O Mount Sinai é o maior sistema de investigação médica de Nova Iorque, com oito hospitais, uma escola e uma rede de clínicas de práticas de ambulatório na região.

 

 

 

 

 

  • 109 Views


IP.Board News by DevFuse
×
×
  • Create New...